Arquivo da tag: colar

Tempo bom

“Logo hoje que eu tô de vermelho, é dia de Iansã”, riu Débora Alcântara (30), com a coincidência sagrada. Porque aqui em Salvador, muita gente se veste de acordo com o seu orixá de cabeça. Não é o caso de Débora. A semelhança com a Rainha dos Raios é a influência do seu clima. “Eu me visto pelo meu humor”, esclareceu ela, entre tempo bom e tempo ruim. Pelo seu visual coloridíssimo, deve estar com o astral lá em cima!

Foto: Luana Ribeiro

Falando em coincidências, descubro que estudou na Facom (UFBA), como esta foca que vos fala, e é jornalista do A Tarde . “Comunicação? Ah, vai ser nossa colega”. Eu deveria ter imaginado – a interceptei bem perto da saída do jornal, depois de tê-la visto passar entre a pequena multidão que sai da passarela e dos pontos de ônibus da região. E não tinha como não ter visto, com a combinação quase mexicana de vermelho e amarelo.

Depois, já conversando com ela, fui vendo os detalhes: espadrilhas (tendência que deve prosseguir no verão 2012),  colar e anel azul, a bolsa grandona com estampa tropical e a saia também estampada. Apenas descrevendo, pode parecer um verdadeiro carnaval, mas tem toda uma sutileza da coordenação de cores. O vermelho (liso e mais fechado) e o azul aparecem nas florzinhas da saia, a bolsa tem fundo preto, as bijuterias são super discretas e as espadrilhas são de um modelo clássico. Ao contrário do que ela imagina, duvido que pensem mal do seu look.

Um exemplo é a saia, grande destaque da produção. Além de linda, é dupla face. “A última vez que usei essa saia, foi pelo lado de dentro”. E adivinha a cor predominante? Azul – como as flores, o anel e o colar – se insinuando por baixo do amarelo. Deixa que digam que é Carnaval. A moça entende do samba.

Foto: Luana Ribeiro
Anúncios

As borboletas prateadas

Sábado é um bom dia é um bom dia para estréias, né não? Pois hoje inauguro a seção “Detalhes tão pequenos…” com recortes interessantes, pequenos detalhes que fazem diferença. Uma bolsa, um sapato, uma pulseira, borboletas…

Borboletas?

Monique dos Santos (19), vendedora de uma pequena loja de roupas na Brasilgás, leva borboletas no pescoço e “pousadas” delicadamente em seu cabelo joãozinho.

Foto: Luana Ribeiro

 

Foto: Luana Ribeiro

 Quando perguntei a ela porque ela usa o cabelo joãozinho, ela disparou: “porque eu raspei a cabeça! Foi muita química, o cabelo caiu todo e eu tive que raspar”. Fiquei surpresa, mas seu sorriso me mostrou que ela tem sabido contornar a situação. Depois do cabelo curtinho, ela nunca fica sem usar um enfeite: “Ontem eu coloquei fuxico verde, anteontem fuxico rosa, tenho passadeira jeans com laço de bolinhas… Aí passei lá em Gildo e comprei essas borboletinhas”. Para quem não é de Salvador, fuxico é isto, passadeira é tiara e Gildo é uma loja de bijuterias – entre as dezenas que existem na cidade – lá de Castelo Branco.

Antes que eu fosse embora, Monique correu para dentro da loja: “peraí que eu vou te mostrar uma coisa”. Trouxe um caderno, desses que as meninas anotam confidências, mensagens, declarações de amizade. Nele, a lembrança do cabelo comprido de antes e otimismo de quem sabe que cabelo cresce – e qualquer coisa a gente sempre terá as borboletas.

"O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã".Foto: Luana Ribeiro